Como gerar tráfego orgânico?

Como gerar tráfego orgânico?

Compartilhar
como gerar Trafego organico

O Tráfego orgânico continua sendo o mais poderoso de todos e não pretende deixar isso mudar tão cedo…  Já se passou um ano desde a experiência realizada pela equipe do Search Engine Land, que mostrou que 60% do tráfego direto é orgânico.

Se você utiliza o Google analytics para monitorar e entender as visitas do seu site, já percebeu que quando você seleciona a opção Origens de Tráfego, o tráfego direto sempre aparece maior do que deveria?

Na sua origem, o tráfego direto deveria representar pessoas que digitaram o endereço do seu site e entraram no seu site, ou seja, tráfego direto, sem nenhum “intermediário” como Facebook, Google, site de terceiros, etc.

Porém, quando o analytics não consegue identificar precisamente por alguma razão qual foi a origem, ele então direciona no relatório para Tráfego Direto.

A experiência provou que 60% desse tráfego na verdade é orgânico, ou seja, gerado pelos mecanismos de busca.

Como aproveitar esse tráfego “Infinito”? 

Uma das maiores reclamações dos empreendedores e profissionais de marketing é: “Não quero ficar dependendo de publicidade”. Essa reclamação é recorrente por uma série de fatores, mas existem 3 que eu gostaria de explicar com mais detalhes.

Razão número 01: Onda de bloqueios e punições

Fazer publicidade com estratégias de marketing direto está a cada dia mais “limitado” e muitas, muitas empresas estão tendo suas contas bloqueadas diariamente.

Nos últimos anos as políticas de privacidade de grandes empresas geradoras de tráfego como Google, Facebook e Amazon têm enfrentado diversos desafios quanto suas políticas de privacidade e sua capacidade de armazenamento de informações de seus usuários.

Talvez você não saiba disso, porém, o Marketing nunca mais foi o mesmo depois do atentado de 11 de setembro. Deixa eu te explicar isso.

Após o atentado de 11 de setembro, o presidente George W. Bush iniciou o chamado “Ato Patriota” que foi uma lei que permitia que o governo americano tivesse acesso a informações pessoais de qualquer pessoa suspeita de algum envolvimento com atividades terroristas.

Ou seja, contas nas mídias sociais, pesquisas realizadas no Google, escuta telefônica, acesso a mensagens pessoais e tudo que envolvesse tecnologia poderia agora ser usado pelo governo para fins de investigação.

Isso fez com que empresas como Google, Facebook, Twitter, abrissem seus arquivos para o governo, permitindo que investigações fossem feitas.

Nosso rastros na internet

Esse primeiro movimento mostrou o volume imenso de informações que as empresas podem coletar dos seus usuários e usar para diversos propósitos.

Nesse contexto, tanto o Google como Facebook e outras empresas, passaram a receber notificações legais e processos, exigindo mais transparência acerca da utilização das informações dos usuários.

Como o Google grava minhas informações de busca e sabe exatamente quem fez aquelas buscas? Por que o Facebook salva todas as nossas conversas privadas, mesmo aquelas que nós deletamos?

Por que todas essas informações estão sendo armazenadas? Qual propósito? E a discussão continua…

Isso fez com que o Google, Facebook e diversas outras empresas de mídia e tecnologia, fizessem uma série de mudanças na maneira como os dados são coletados e principalmente qual o propósito de uso dessas informações.

Ok. Agora vamos voltar para o Marketing.

Imagine que você está sendo constantemente “investigado” por coletar informação de usuários de internet, com propósitos desconhecidos e agora sua casa está sendo constantemente vigiada.

Agora imagine que você alugou um dos seus quartos, para uma pessoa desconhecida, alguém que você não tem muitas informações, mas você aceita que ele entre, afinal, está pagando.

Poucos dias depois, você descobre que ele está coletando informações de usuários de internet, e você tenta ter mais informações sobre quais os propósitos dele e o que ele faz com essas informações, sem conseguir coletar muitas informações você começa a ficar desconfiado que ele poderá prejudicar alguém, coletando aqueles dados.

O que você faria? 

Talvez no primeiro momento você desse um alerta. Ei, o que você está fazendo não está dentro da nossa diretriz, é melhor você corrigir isso.

No segundo momento, você provavelmente iria expulsar aquela pessoa, afinal, ela não seguiu as regras. Correto?

Pois bem… É isso que está acontecendo TODOS os dias, com milhares de contas no Facebook. As pessoas simplesmente não estão seguindo as diretrizes, não fica claro quem são essas pessoas e também não fica claro quais são seus propósitos.

O Facebook, Google e outras empresas que estão nesse novo contexto da importância da preservação da privacidade e segurança dos dados, NÃO irão permitir que usuários corram o risco de serem prejudicados navegando em suas plataformas.

A culpa é nossa. A culpa é sua.

Se você está enfrentando alguma dificuldade com seus anúncios, preciso ser sincero com você. A culpa é sua.

Eu também já tive conta bloqueada e a culpa foi minha. Porém, isso me ajudou a prestar atenção nas regras do jogo e jogar de acordo com as regras. Nunca mais tivemos nenhuma conta bloqueada.

O problema é que o “jeitinho” ainda quer prevalecer como estratégia de muitos empreendedores. Coisas como: “Pega o cartão de outra pessoa, usa um pré-pago”.

Tudo isso é JEITINHO. E uma hora para de funcionar. Ponto final.

Natanael, mas você ainda não falou como resolver isso…

Calma, o artigo ainda não terminou, por que essa pressa? Vamos agora para o fator número 02 da reclamação “Não quero depender de publicidade”.

Razão Nº02 – Os custos sempre aumentam com o tempo, nunca diminuem

gerar trafego organico pago

Não existe milagre. A tendência é que a publicidade paga sempre fique mais cara e nós temos que aceitar isso.

Há 5 anos, algumas palavras-chaves no Google Adwords estavam em torno de R$0,50 por clique. Hoje, as mesmas palavras-chave, estão R$25.000, R$50.000. E NUNCA, NUNCA, NUNCA MAIS irão voltar para R$0,50.  Aceite isso, é mais fácil quando você aceita as coisas como elas são. rs

Simples assim.

Em 2009, quando você fazia algum tipo de anúncio no Facebook, era MUITO mais fácil impactar milhares e milhares de pessoas, a concorrência de anunciantes era mínima.

Sempre que uma plataforma vai se tornando mais populosa e você tem mais anunciantes,
a tendência é que os valores subam. Essa é a leia da Oferta X Procura.

Então não fique chorando se o seu custo por clique aumenta a cada ano, isso é perfeitamente normal e previsto. Se você ficar dependendo de baixar esse valor, é melhor você tomar cuidado.

Ok Natanael, já estou ficando com medo desse artigo… Quer dizer que as nossas contas estão sendo bloqueadas e a publicidade está ficando cada vez mais cara?

É isso mesmo. A verdade nua e crua. rsrs. Mas não vá embora, ainda existe esperança. Tudo é possível para aquele que crê. Então continua aqui comigo.

Se quiser parar um pouco para beber água, ou algo do tipo, eu te espero. Vou parar um pouco aqui também… volto já. Pronto. Vou continuar agora. Vamos para o fator número 03.

Razão Nº03 – Sem publicidade minhas vendas caem drasticamente

Essa é uma realidade dura. Recentemente fiz algumas reuniões com uma empresa que teve uma queda de mais de 80% em seu faturamento depois que o Facebook bloqueou todas as suas contas.

Durante cerca de 10 meses eles ficavam criando várias e várias novas contas… Foram mais de 80 contas diferentes sendo bloqueadas vez após vez. Eles criavam novas, colocavam as campanhas no ar, voltavam a vender, tinham a conta bloqueada e a vida era assim.

Recentemente o Facebook bloqueou toda e qualquer url relacionada ao produto da empresa e as coisas ficaram difíceis.

Durante 10 meses, a busca pelo jeitinho fez com que a empresa tivesse uma queda de 80% em seu faturamento… Um duro golpe que agora precisa ser revertido fazendo o que deveria ter sido iniciado há 10 meses. (Vou falar mais sobre isso daqui a pouco).

Esse é o sofrimento atual.

Esse é o cenário que muitas empresas estão enfrentando hoje.

01 – Contas bloqueadas
02 – Gastando cada vez mais para vender menos
03 – Ficar sem publicidade = Ficar sem vendas.

Como resolver isso? Como dar uma segurança para uma empresa que usa a internet como uma ferramenta fundamental para a geração de novos negócios?  Como ter diariamente algo tão necessário como o Tráfego?

A resposta que eu vou te dar talvez não seja a mais animadora, mas com toda certeza é o caminho mais seguro de todos. A resposta é: Tráfego Orgânico.

Eu digo que a resposta não é a mais animadora de todas porque SEO e Tráfego orgânico não é algo que acontece da noite para o dia. E se você investir hoje em conteúdo e tráfego orgânico, os seus resultados irão aparecer em 6 meses a 1 ano.

Esse é um investimento em longo prazo, que precisa de dedicação diária, e os resultados NÃO são imediatos. Talvez você pense: “Não tenho tempo para esperar agora”. E eu respeito isso.

Mas em breve você irá voltar para esse mesmo problema, pois os ciclos sempre se repetem quando você não resolve o problema na sua raiz.

Mas eu tenho uma outra boa notícia para você. Existe uma maneira de você utilizar o SEO e o conteúdo para acelerar seus resultados de vendas ainda hoje. Então, fica tranquilo que ainda existe esperança.

Só um aviso importante. Você deve estar vendo pelo Brasil diversos treinamentos com promessas de “tráfego infinito”, seus problemas com tráfego acabaram, a fórmula definitiva do Tráfego, blá,blá,blá,blá,blá…

E no final, o que é ensinado? Facebook Ads, Google Adwords, ou seja, publicidade.
Se você não lembra o que isso significa na prática, leia novamente os 3 fatores que eu falei no começo deste artigo.

Eu NÃO estou dizendo que esse tipo de estratégia é ruim, até porque eu utilizo em meus projetos e também com nossos clientes. Porém, somente usar tráfego pago com anúncios é colocar a empresa em um risco que eu não desejo para ninguém.

Se sua empresa não produz conteúdo e não gera tráfego orgânico, eu começaria isso IMEDIATAMENTE.

Como Gerar Tráfego Orgânico na Prática?

Então vamos lá, vou apresentar uma série de orientações práticas de como você pode gerar tráfego orgânico para a sua empresa, cliente, etc. É importante lembrar que eu não estou falando de ficar na PRIMEIRA página do Google no primeiro resultado.

Até porque existem vários exemplos de sites que geram milhares de visitas estando em #5, #6, #9 posição. O que nós vamos discutir aqui é como gerar tráfego orgânico de maneira correta, planejada e lucrativa…

Além disso, o Tráfego orgânico consegue potencializar os resultados de tráfego pago, como mostra esse artigo.

Passo número 01: Você será especialista em qual assunto?

Uma das decisões mais importantes que você precisa definir para o seu negócio no momento que você está iniciando sua estratégia de geração de tráfego orgânico é decidir qual será o tema central das informações que você irá utilizar para chamar atenção do seu público alvo perfeito.

Aqui no Marketing com Digital, por exemplo, sobre qual assunto nós escrevemos? Exatamente, estratégias de marketing digital.

Nossa proposta é ter um conteúdo relevante que chame atenção de pessoas interessadas no assunto marketing digital. Os nossos produtos e treinamentos são de qual assunto? Também estão no nicho Marketing Digital.

Continuando com o nosso exemplo, vamos entender a diferença entre tema geral e tema central ou específico. Dentro do marketing digital existem diversos tipos de conteúdos que poderiam ser tratados.

– Google analytics
– Adwords
– Facebook Ads
– Twitter
– Instagram
– e assim sucessivamente…

Nós poderíamos ter um blog somente falando sobre Facebook Ads e atrair pessoas interessadas nesse tema específicos. Se você observar nossas publicações aqui no blog, estamos falando sobre basicamente 3 temas centrais.

01 – Estratégias de Tráfego (Como esse artigo que você está lendo)
02 – Estratégias de relacionamento e produção de conteúdo
03 – Estratégias de Vendas (Funil, campanhas)

Esse é o tema central dos nossos artigos e o nosso público pode rapidamente identificar isso, navegando entre um artigo ou outro.

Essa decisão foi tomada pois estes são os temas principais dos nossos treinamentos completos, isto é, nossos cursos pagos. Um tema precisa ter relação direta com o outro.

Muitas empresas erram porque pegam o tema geral da sua área de atuação e começam a produzir conteúdos aleatórios, essa é a maior razão pela qual muitas empresas não estão conseguindo gerar tráfego qualificado e como consequência, mais vendas.

Tema central ou específico significa determinar com precisão o tipo de conteúdo que você irá produzir e qual será o seu diferencial para os demais conteúdos.

Talvez você diga. “Já existem muitos blogs produzindo conteúdo sobre este assunto”.
Tudo o que você precisa fazer é produzir um conteúdo 10x melhor. Simples.

Passo número 02:  Conhecendo profundamente os seus concorrentes orgânicos

Existe uma grande diferença entre empresas concorrentes e concorrentes orgânicos. Essa é uma definição simples que pode evitar horas perdidas de planejamento feito de maneira errada.

É muito comum que os empresários tenham na ponta da língua a lista dos sites que eles consideravam seus “grandes” concorrentes. Porém, na grande maioria das vezes, estes sites não são concorrentes orgânicos, ou seja, não estão diretamente concorrendo em uma palavra-chave específica.

Deixa eu dar um exemplo prático. 

Imagina que uma gráfica em São Caetano do  Sul diga para mim que o seu maior concorrente é a gráfica que fica no outro lado da rua. Este pode até ser seu concorrente para as pessoas que estão ali, passando na rua e irão escolher uma gráfica, no entanto, na internet isso é bem diferente.

Imagine que quando você pesquisa no Google por algum termo específico que esteja dentro do plano de geração de tráfego da empresa, apareça uma gráfica que fica longe do campo de visão do empresário, quilômetros de distância.

Ok. Agora imagine o usuário realizando uma pesquisa no Google, quem de fato será o grande concorrente? A gráfica no outro lado da rua ou o concorrente orgânico?

Já que eu dei o exemplo de uma Gráfica, vou adicionar aqui abaixo um vídeo com um case de uma Gráfica que nós ajudamos na criação de uma estratégia de tráfego orgânico.

Identificando os sites similares

Uma maneira simples de encontrar os sites que podem ser considerados são concorrentes orgânicos, consiste em encontrar sites similares ao seu ou do seu cliente.

Porém, essa definição de “similar” é baseada na questão semântica, ou seja, os termos e assuntos que definem um site em específico.

A ferramenta para você fazer essas descobertas é a Similar Sites

similar-sites
Depois de digitar o endereço do site que você deseja as informações, basta fazer uma rolagem para baixo e então irá encontrar.

Depois de listar sites concorrentes a próxima ferramenta que você deve utilizar é a SEMRUSH.

sem-rush

Essa é uma das melhores ferramentas para simplesmente descobrir o que está dando certo para os seus concorrentes orgânicos e economizar muito tempo na criação do seu plano editorial, além de potencializar muito suas chances de bons resultados, afinal, você está coletando algo que já está dando certo.

Para você aprender como utilizar a ferramenta e como analisar a concorrência, vou liberar uma aula para você assistir agora.

Terceiro passo: Seu conteúdo precisa ser visto e compartilhado

Imagine que você fez tudo o que tinha que ser feito, desenhou seu plano de tráfego orgânico, fez a análise dos concorrentes e iniciou seu trabalho de produção de conteúdo.  E agora, o que fazer?

Muitas pessoas vão nesse momento simplesmente cruzar os braços e esperar que o Google faça a sua parte, encontre seu conteúdo e o coloque à disposição de milhões de pessoas.

Porém, as pessoas espertas irão iniciar a estratégia de promoção do seu novo artigo.  Essa é uma etapa fundamental na sua estratégia de geração de tráfego orgânico, lembrando que tráfego orgânico não é apenas através do Google, mas através de mídias sociais, redes de conteúdos e sites de terceiros que usaram seu conteúdo como referência.

Eu preciso que você entenda um conceito que no primeiro momento pode parecer um pouco estranho, mas rapidamente você irá entender que se trata da mais pura verdade.

A internet NÃO tem informação suficiente.

Calma, eu disse que iria parecer um pouco estranho, mas fica tranquilo. O que eu quero dizer é que hoje nós temos muita informação disponível na internet, no entanto, falta conteúdo de alta qualidade, isto é, nós temos MUITO conteúdo com POUCA profundidade.

Essa é a grande brecha que o contexto atual te dá para que você e sua empresa dominem uma determinada área do seu mercado.

Se você parar para realizar algumas pesquisas na sua área de atuação, rapidamente perceberá que a maioria dos artigos que tratam os principais temas possuem uma qualidade limitada.

É provável que rapidamente você diga: “Falta muita informação valiosa nesse texto, ele não está completo”. Correto?

Eis a grande oportunidade para você, no entanto, você vai precisar trabalhar duro para produzir conteúdos de qualidade superior aos que já existem pela internet à fora.

1.200 Links de Referência

gerar trafego organico pago

Em 2011 eu escrevi um artigo chamado A História das Redes Sociais, que me gerou mais de 1.200 links de referência, milhares de compartilhamentos e uma série de convites para palestras, entrevistas, etc.

Até hoje esse é um artigo que gera milhares de visitas de maneira orgânica. Se eu levar em consideração os últimos anos, foram mais de 1 milhão de visitas somente neste único artigo. Mas o que ele tem de diferente? O que fez com que ele se tornasse tão popular?

Ele foi útil para muitas pessoas e tudo que é útil se torna rapidamente popular no seu nicho. Muitas pessoas utilizaram esse artigo como referência para suas monografias e pesquisas.

Hoje, no nosso blog Marketing Com Digital, um dos artigos mais populares de todos é o Como Criar uma Lista de Emails Gastando Muito Pouco. Todos os conteúdos que entram nessa linha de “Como fazer x,y,z” e de fato entregam COMO fazer, tendem a alcançar bons resultados em termos de popularidade e compartilhamento.

Não existe uma “fórmula secreta” para conseguir que seu conteúdo seja compartilhado, o que existe é você ter uma preocupação genuína em escrever sobre assuntos interessantes, que verdadeiramente possam ajudar o seu público.

Depois de publicar o seu artigo no blog, sempre promova o seu artigo nas suas mídias sociais, tenha contatos com blogueiros da sua área de atuação e donos de grupos no Facebook para compartilhar seu conteúdo com eles.

Siga pessoas referências na sua área de atuação, comente em seus blogs, participe da comunidade e contribua da melhor maneira possível. Se o seu conteúdo for de qualidade, rapidamente ele será compartilhado pelas pessoas da sua comunidade.

Resumo:

01 – Dedique-se a escrever um conteúdo INCRÍVEL
02 – Participe da comunidade de autores do seu nicho, participe de maneira inteligente, faça referência a blogs relevantes da sua área e deixe que seu conteúdo fale por você mesmo.

Faça isso de maneira consistente por 6 meses e comece a colher os frutos.

Se você desistir na primeira semana, não se preocupe… A maioria das pessoas fazem isso.

Porém, se você continuar sério e dedicado nos primeiros 6 meses, depois desse período você nunca mais irá parar de escrever e participar da sua comunidade.

Experimente fazer isso e depois me conte os resultados…

Se você quer ajuda especializada para iniciar e percorrer este caminho, sugiro que dê uma olhada nos benefícios da nossa área de membros. Muitos conteúdos valiosos estão lá esperando por você.

Um abraço e até a próxima!