dicas entrevista conteudo marketing

Como Se Preparar Pra Produzir Conteúdos Baseados em Entrevistas

Há várias formas de fazer entrevistas que serão transformadas em conteúdos, e você pode escolher a que mais combina com o seu perfil ou necessidade. Leia este artigo e confira algumas delas.

Uma Dica Especial Sobre Entrevistas

No artigo anterior, falei por que entrevistas são importantes e como elas podem ajudar o seu negócio. Confira antes de ler este texto 😀

Trabalhei por 5 anos em uma revista de publicação mensal e tiragem nacional sendo o responsável por uma seção fixa de 3 páginas.

Naquela época as entrevistas não eram o meu foco, mas elas tinham um espaço dedicado na minha seção. Realizei muitas entrevistas por email, MSN (sim, quando o chat do Facebook ainda não era tão popular) e até mesmo por Skype.

Já entrevistei pessoas enquanto uma câmera era apontada para mim, seja no meio de um evento ou na tranquilidade de um ambiente mais reservado, e se tem uma dica que eu posso te dar, é:

Faça uma boa pesquisa sobre o entrevistado e confira outras entrevistas feitas com ele.

Claro, esta dica só funciona se estivermos falando de alguém famoso ou relevante o suficiente em alguma área.

Alguém que entrevista o Flávio Augusto, por exemplo, não quer dicas de empreendedorismo. Essa pessoa quer dicas de empreendedorismo DO FLÁVIO AUGUSTO, o empreendedor bilionário. Entendeu a diferença?

E é exatamente por isso que você deve saber o que outras pessoas já perguntaram para ele, pois assim você terá como planejar perguntas que abordem um tema de um ângulo diferente ou algo do gênero.

Agora que te dei esta dica, está na hora de falar como produzir as entrevistas.

Opções de Entrevista

Graças à tecnologia existem várias opções ao nosso dispor:

– Email
– Chat (digitado)
– Skype / Telefone
– Skype (Vídeo Conferência) / Google Hangouts
– Pessoalmente (Câmera)

Agora, confira algumas características de cada:

1- Entrevista por email

Esta é a opção mais prática, mas isso quer dizer que é a mais simples. Por não se tratar de um contato em tempo real, é comum que entrevistadores menos experientes acreditem que entrevistar alguém por email seja mais fácil, e não é bem assim.

Quando você seleciona um “número X” de perguntas, deve levar em consideração os possíveis tamanhos das respostas, principalmente se você tem alguma limitação de espaço predeterminada.

Digo isso por experiência própria, pois muitas vezes precisei cortar trechos de respostas ou até mesmo escolher quais perguntas teriam que sair da minha entrevista após receber o email do entrevistado.

Deixo claro que não fiz isso para censurar ninguém, e sim para não ultrapassar o número de caracteres que eu tinha disponível para uma determinada entrevista.

Se você não escreve para algum veículo, é provável que não tenha esse problema da limitação, mas mesmo assim é bom ficar alerta para que a sua entrevista não se torne uma tese de mestrado em formato de blog. Ninguém vai aguentar algo tão extenso.

Para finalizar, vale ressaltar o fato de que as perguntas realmente precisam de um grande planejamento, pois fora de uma entrevista ao vivo você não tem como formular uma pergunta baseada na resposta da pergunta anterior e nem como guiar a conversa, e isso pode deixar tudo muito mecânico, dando uma boa travada na leitura.

2- Entrevista por Chat (Escrito)

Este formato é praticamente um upgrade da entrevista de email, pois continuamos no formato escrito, mas agora ao vivo.

O grande problema é que quase toda a praticidade vai para o espaço, pois seria muito mais rápido conversar por meio de uma ligação (telefone ou skype).

Para não tomar muito tempo do entrevistado, fazer de 1 a 3 perguntas é o ideal.

E por que você faria uma entrevista de 1 pergunta?

Simples: é muito comum realizar entrevistas de 1 pergunta quando o resultado final se trata de uma compilação de várias entrevistas, como diferentes dicas de profissionais de uma área.

Desta forma você tem como transformar uma pequena conversa, iniciada por 1 pergunta, em um bate-papo curto, guiado por algumas indagações e observações feitas por você durante a resposta do entrevistado para a pergunta principal.

3- Skype / Telefone

Espero que você já saiba disso: esse tipo de entrevista precisa ser gravado! Fazer anotações pode lhe tirar a atenção, e confiar na memória nem sempre é uma boa opção. Por isso, recorra a programas que permitem que você grave entrevistas de áudio.

Além disso, é muito comum publicar as próprias entrevistas como um áudio, principalmente se você trabalha com podcasts.

Em alguns casos será possível acordar um tempo máximo de entrevista com o entrevistado, e isso é uma boa maneira de garantir que não irá tomar mais tempo dele do que o esperado.

Para que não haja nenhum problema, esteja certo de ter todas as perguntas e dados necessários ao seu alcance em mais de um dispositivo.

Se o seu computador travar, por exemplo, você não será prejudicado se as perguntas estiverem abertas no bloco de notas de seu smatphone ou em uma folha de papel na sua mesa.

Certifique-se de que a bateria do seu celular está com uma boa carga e, caso esteja usando o computador, faça um teste com antecedência para saber se está tudo ok com o seu microfone e com o programa utilizado para a conversa.

4- Entrevista por Vídeo Conferência (Skype ou Google Hangouts)

A grande vantagem deste formato de entrevista é que você pode escolher se vai bater um papo ao vivo com o entrevistado enquanto é assistido por uma plateia, ou se prefere gravar a conversa e publicá-la posteriormente.

Quando há a presença do público ao vivo, você pode aproveitar para recolher algumas perguntas da audiência, o que muitas vezes pode ser bem interessante.

Caso queira fazer isso, a plataforma indicada é o Google Hangouts, que além de permitir bate-papos ao vivo com audiência também é capaz de armazenar o conteúdo e deixá-lo disponível, como um vídeo de Youtube, para todos que desejem assisti-lo no futuro.

Aqui, mais do que na conversa por celular ou Skype, é ideal que você tenha as perguntas ao seu alcance em uma plataforma diferente da utilizada para o bate-papo.

Se possível, ter a ajuda de outra pessoa também é uma ótima ideia, pois o ajudante pode ser encarregado de verificar as perguntas do público e repassá-las para você.

5- Entrevistas com Câmera (Pessoalmente)

Como você não é um repórter, seu cuidado precisa ser ainda maior com esse formato de entrevista para que imprevistos não lhe prejudiquem.

Se o áudio falhar, por exemplo, a entrevista está praticamente perdida. Agora imagina que você teve acesso a um figurão com um tempo bem restrito e, por conta de uma falha no equipamento, a sua entrevista é perdida…

Pois é, o culpado mais comum é o áudio, porque mesmo que a imagem se perca, se ainda houver áudio você pode reaproveitar a entrevista como um podcast ou escrever um texto. Se só a imagem sobrar, isso não será possível.

Então, quais são os cuidados com o áudio?

Além da câmera, tenha mais uma fonte de áudio, como um microfone ou um gravador. Primeiro, porque o áudio captado por microfones e gravadores é melhor.

Segundo, porque se você estiver gravando em um ambiente que não conhece, não há como saber se o áudio ficará com algum eco ou se ficará muito baixo pela distância entre você e a câmera.

Esse problema pode ser resolvido facilmente com o seu celular. Você pode usar programas de gravação de áudio como o Recforge II Pro, gratuito e exclusivo para Android, ou o Alon, que não é gratuito, mas é barato e serve como uma boa alternativa para usuários de iOS.

Você pode conectar um microfone ao celular ou simplesmente utilizá-lo como gravador.

Além disso, tenha um cuidado especial com as informações que você quer usar durante a entrevista. Organize bem o seu bloco de notas e não use folhas grandes, como A4, pois isso pode dificultar com que você encontre a informação de forma ágil.

Outra coisa importante é conferir o espaço disponível na memória da câmera com antecedência, para que você não corra o risco de perder parte da entrevista por conta de falta de capacidade de armazenamento.

Se possível, leve um ajudante para que este possa fazer um bom enquadramento e auxiliar com as demais necessidades.

Recapitulando

– Email
– Chat (digitado)
– Skype / Telefone
– Skype (Vídeo Conferência) / Google Hangouts
– Pessoalmente (Câmera)

Estas são as opções de entrevistas que você pode escolher fazer para produzir conteúdos que serão de grande utilidade para você e sua audiência.

Se gostou das dicas deste arquivo, acredito que também irá gostar das dicas exclusivas da nossa área de membros do Portal Marketing com Digital. Confira os nossos minicursos e conteúdos especiais!

E aí, agora que você já sabe como se preparar, tá esperando o que pra começar a fazer entrevistas?

Um abraço e até o próximo artigo.

Webwriter do portal Marketing com Digital e colunista na revista oficial da Nintendo no Brasil. Também trabalha, desde 2006, com a produção de eventos de cultura pop voltados para jovens.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *