Era uma vez um redator que usava storytelling para escrever conteúdo relevante

Acredito que você não escreve textos começando com “Era uma vez”. É, eu também não, mas nem sempre foi assim para nós dois, né? Eu era bem mais novo, pré-adolescente, e me lembro de que uma professora – que até tinha o mesmo sobrenome que eu – me ensinou que existiam formas bem mais consistentes e eficientes para construir um bom texto.

Sabe qual é uma técnica que funciona bastante? O storytelling. E eu acabei de utilizá-la.

O que é Storytelling

Usado em comerciais, palestras, textos de gêneros diversos, jogos de RPG, entre outros, o storytelling – termo que em inglês significa algo como “contar histórias” – tem como objetivo prender a atenção do leitor com uma história.

E por que uma história?

O que é mais fácil? Lembrar de um enredo de um filme/livro, ou de um conceito que você aprendeu em algum curso, seminário ou aula?

Acredito que, assim como eu, você se lembra de uma história com maior facilidade, e é justamente por isso que o storytelling é tão poderoso.

Através de uma história você pode passar ideias, convicções, emoções, retratar a força de uma marca…

Quer um exemplo?

Veja estes vídeos, que falam sobre a marca John Walker e Richard Branson, fundador do Grupo Virgin.

John Walker – O homem que andou ao redor do mundo (Legenda em português)

A fantástica história do jovem Branson (Áudio inglês – Sem legenda)

Comerciais como esse estão ganhando destaque, até mesmo no Youtube, aparecendo como anúncios quando você está prestes a ver um vídeo.

No de John Walker, a mensagem é muito clara: essa companhia tem tradição, qualidade, diferencial, impactou a sociedade, e permanecerá assim por muito tempo.

E como você poderia aplicar essa poderosa técnica em seus textos?

Aplicando o storytelling em textos

Você lembra do primeiro parágrafo deste texto? Eu explico por que deixei de usar “era uma vez”. Lembrou o motivo?

Bem, espero que tenha lembrado…

Eu contei uma história para ilustrar um assunto: técnicas eficientes para escrever texto.

Disse que não usava mais “era uma vez”, assim como você, e que uma professora com o mesmo sobrenome que o meu havia me ensinado a fazer isso.

Eu poderia simplesmente ter omitido o detalhe do sobrenome, mas isso prejudicaria a minha história. Um bom storytelling se apega aos detalhes, sejam eles visuais ou mentais.

No vídeo do John Walker, por exemplo, você vê um ator andando o tempo inteiro, passando por elementos que representam diferentes pontos da história. O andar contínuo e o cenário fragmentado são objetos chaves que servem para que o espectador se lembre com mais facilidade da história.

No caso do vídeo de Richard Branson, você deve ter notado que todos os atores que interpretaram o bilionário, até mesmo a sua versão bebê, tinham um cavanhaque. Eles realmente queriam mostrar que aquela era a história do Richard…

Você terá feito um bom storytelling se conseguir atender 1 destes 3 pontos:

1- A pessoa conseguir lembrar dos pontos chave da sua história ao recordar o que estava acontecendo enquanto ela estava sendo contada

2- A pessoa visualizar mentalmente a narrativa, ou seja, se ela conseguir reproduzir mentalmente um cenário por conta do que leu/ouviu

3- As duas opções de cima juntas.

No caso dos textos, é mais comum alcançar o item número 2. Para isso, utilizar comparativos e algumas palavras/frases que conectem você ao leitor é uma boa opção.

Ex: “sabe quando”, “talvez você”, “acredito que você”, “todo mundo já”, entre outras.

O storytelling serve para todos os públicos?

marketing digital público alvo storytelling

Sim, mas você precisa tomar bastante cuidado. É preciso conhecer muito bem o seu público-alvo para aplicar o storytelling de forma eficiente

Uma criança, por exemplo, assistindo ao comercial do John Walker, não captaria a mensagem do mesmo jeito que eu e você somos capazes de entender, pois a história que estava sendo mostrada falava sobre um empreendedor e uma empresa.

No entanto, mostra para a criança uma narrativa como Pokémon, Hércules, Harry Potter, Ben 10, Homem-Aranha, e ela logo terá vontade de sair correndo por aí como se fosse o personagem principal.

Por que isso acontece?

Porque essas narrativas utilizam uma fórmula de storytelling conhecida como a Jornada do Herói, que consegue transformar situações diversas em histórias atraentes, e vem sendo o componente principal de muitas lendas e obras de ficção desde a criação dos grandes mitos da humanidade.

Acredite, com esse modelo você será capaz até mesmo de promover produtos de uma forma chamativa.

Sua próxima missão

Antes de explorarmos o vasto terreno da Jornada do Herói, preciso avisá-lo de que você tem uma missão.

Da próxima vez que estiver escrevendo um conteúdo, pense como você o contaria para um amigo, ou para alguém que você acabou de conhecer.

Veja como os detalhes orais se manifestam e selecione alguns deles para compor a sua história em forma escrita, pois eles farão a diferença.

Em breve começaremos a nossa jornada…

Webwriter do portal Marketing com Digital e colunista na revista oficial da Nintendo no Brasil. Também trabalha, desde 2006, com a produção de eventos de cultura pop voltados para jovens.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *