textos longos conteúdos vendas online

Como Não Encher Linguiça e Fazer Textos Atrativos Que Geram Mais Vendas

Quem acompanha o nosso blog já sabe: escrever artigos longos é algo que pode te ajudar a vender mais e que está por trás de estratégias de sucesso de marketing digital.

No entanto, nem todo mundo está acostumado a escrever grandes textos. O que você precisa para não encher linguiça e, de fato, conquistar os seus leitores? É isso que veremos agora.

Depois de mais de 6 anos trabalhando como redator posso te dizer o seguinte: há duas formas de fazer um conteúdo grande sem encher linguiça:

OPÇÃO A – Tendo MUITAS informações com um mínimo de relevância ao seu dispor

OPÇÃO B – Entendendo muito do assunto, ao ponto de conseguir explicar minuciosamente um ou mais tópicos.

Já escrevi para um site de um corretor de imóveis, algo que estava fora da minha expertise, e os conteúdos não eram longos, mas também não eram curtos.

Por entender apenas o básico do básico sobre o assunto eu não podia entrar em muitos detalhes e explicar minuciosamente aquilo que estava sendo abordado. Minha única opção era ter muitas informações dentro de um mesmo texto.

Imagine algo mais ou menos assim…

Fazer um conteúdo LONGO somente sobre a cozinha era mais complicado do que fazer um conteúdo longo sobre a casa inteira.

Com a casa inteira seria possível pegar várias informações sobre os diferentes cômodos e criar um conteúdo grande.

A história é outra quando você faz um texto sobre algo que domina, como fiz diversas vezes aqui no blog ao falar sobre produção de conteúdo, e não estou falando apenas de textos longos.

Uma vez eu fiz, por exemplo, um texto que falava apenas sobre como escrever um bom primeiro parágrafo, e ele não era curto (mas também não era longo).

O que eu quis dizer com “a história muda de figura” é que você pode aproveitar o seu conhecimento sobre um ou mais tópicos para explorá-los de uma forma mais detalhada que o normal, trazendo um grande diferencial para o leitor.

É esse diferencial que vai fisgar o interesse dele…

Deixa eu te explicar isso melhor

A importância do diferencial

texto diferencial atrativo vendas

A gente vive vendo por aí sites de tecnologia e portais de notícias dando dicas de “como ganhar dinheiro na internet”, “como fazer um canal de sucesso no Youtube” e coisas do gênero.

Você nem precisa abrir o link pra saber que é um conteúdo no formato de lista (X Dicas) ou uma entrevista com alguém que já fez sucesso com isso e vai dar dicas, muitas vezes também apresentadas no formato de lista ou apenas soltas dentro de um curto texto.

Olha só esse texto do Olhar Digital com 10 dicas para bombar um canal no Youtube. Pode clicar, você não vai demorar nem 40 segundos no site.

Viu só?

Praticamente tudo abordado nesses conteúdos são dicas superficiais ou até mesmo óbvias para qualquer pessoa que já fez uma pesquisa simples sobre o assunto.

Isso acontece porque esses conteúdos foram feitos para serem lidos rapidamente. Eles não foram produzidos para dar os mínimos detalhes sobre cada tópico, e sim para chamar a atenção e ganhar cliques.

Não é esse tipo de conteúdo que você quer no seu site. Você não quer ganhar cliques apenas para que as pessoas olhem um texto por cima e saiam do seu site em menos de 1 minuto.

O que você quer são pessoas que leiam o texto e decidam tomar uma ação, seja pedir um orçamento, fazer cadastro em uma lista de email, uma reserva, uma solicitação de serviço, compra…

E aí, você tem ideia do que é preciso fazer para atingir esse objetivo?

Produzindo um texto com diferencial

Ter um diferencial é exatamente o oposto de “encher linguiça”, e como falei no início do texto, só há duas formas de não encher linguiça:

– Tendo muitas informações relevantes
– Conhecendo bem um tópico para poder entrar em detalhes (que são relevantes)

A seguir eu vou te dar algumas dicas para que você possa escrever textos com um bom diferencial em qualquer uma dessas duas situações

Escrever texto com diferencial quando você não entende do assunto

Você precisa fazer uma boa pesquisa e ser capaz de organizar as informações relevantes em um texto com ordem lógica, que normalmente segue esse roteiro:

– Por que isso é importante
– De que forma isso pode fazer a diferença para o leitor
– Como isso funciona

E como é que você vai fazer essa pesquisa?

Uma das melhores dicas que eu posso te dar é pesquisar os conteúdos que estão sendo produzidos por concorrentes. Há quem tenha medo de fazer isso por achar antiético, mas fique tranquilo porque não é.

Ninguém é dono do tema “emagrecimento rápido”, por exemplo, e isso significa que você pode procurar informações relevantes livremente.

Além disso, há outras opções:

– Consultar dados de pesquisas

Em quase todos os segmentos é possível encontrar pesquisas que indicam dados de crescimento, valorização, importância, entre vários outros aspectos. Utilizar tais dados em um texto acaba passando uma relevância maior para o seu discurso.

O único cuidado que você precisa ter é verificar a veracidade da pesquisa e informar quem a realizou. Por último, evite citar mais de 3 pesquisas em um mesmo texto. 2 já estão de bom tamanho, e muitas vezes apenas 1 já é o suficiente.

– Pesquisar em outros idiomas

É comum que algumas áreas sejam mais desenvolvidas fora do nosso país, e isso significa que as informações que podem ser encontradas em outra língua tendem a ser mais relevantes, completas ou atualizadas do que aquelas que você pode encontrar em português.

Muitas vezes utilizei textos e até mesmo podcasts em inglês como fonte de informação ou inspiração para os meus textos.

– Pedir dicas ao cliente

Caso você esteja fazendo um texto para o seu cliente, que tal pedir algumas dicas sobre o segmento para ele?

Em alguns casos o segmento ou o tópico que será abordado é tão específico que você precisará de uma ajuda de alguém com experiência na área se não quiser perder horas ou até mesmo dias pesquisando algo (e correndo o risco de mesmo assim não passar uma informação relevante o suficiente).

Se o cliente não tem tempo para bater um papo com você e tirar essas dúvidas com calma, sugiro que comece a produção do texto e, em seguida, reúna todas as dúvidas que tiver, dando prioridade às mais importantes, e passe um email sucinto para saná-las.

– Pesquise em mais de uma fonte

Uma das melhores formas de ter certeza de que você realmente reuniu informações fundamentais para o seu leitor é comparar o que mais de uma fonte fala sobre o mesmo tema. Assim você será capaz de coletar importantes informações e reuni-las em um novo texto.

Essas são as dicas básicas que eu posso te dar com relação a como fazer uma boa pesquisa, mas tenha em mente que além de conter informações relevantes um bom texto precisa ter uma boa experiência de leitura.

No artigo sobre Tipos de Modelos de Conteúdo eu falo em detalhes sobre como você pode escrever os seus textos.

Escrever um texto com diferencial quando você entende do assunto

Vou começar este tópico com um exemplo.

Quem tem um bom conhecimento de estratégias de marketing digital que realmente funcionam deve saber que o Email Marketing é algo muito importante, e que uma boa estratégia de email marketing envolve algumas etapas.

No entanto, não necessariamente o seu público sabe disso. No caso específico do email marketing muitas pessoas vão pensar “ahh, mas eu sei que isso é importante, várias empresas fazem”.

Mas nós, a equipe do Marketing com Digital e os alunos do nosso curso de formação em Experts Online (EVO), sabemos que várias empresas usam o email marketing do jeito menos efetivo, ou seja, nosso papel em um texto sobre email marketing é explicar a REAL IMPORTÂNCIA do email marketing e a REAL DIFERENÇA que ele pode fazer para um negócio.

O primeiro passo para escrever um bom texto usando todo o potencial do seu conhecimento é saber qual é o objetivo do seu texto.

O seu texto é sobre algo que o público já está ciente da verdadeira importância ou é algo que está na mesma situação do email marketing que ilustrei acima?

Definir o tipo de conversa que você terá com o público antes mesmo de começar o texto é fundamental para que você não saia dos trilhos e acabe enchendo linguiça.

A seguir, veja algumas dicas simples, mas muito eficazes, para que você defina o tipo de conversa que terá com o público:

– O seu público não é você

Já ouviu falar das categorias iniciante, intermediário, avançado e expert? Por mais que os seus textos não carreguem um rótulo com essas categorias, aconselho que você faça essa distinção invisível entre eles para evitar problemas de compreensão.

Estamos tão acostumados com as técnicas e os termos do nosso segmento que acabamos cometendo um erro crucial: falamos com o nosso público como se estivéssemos falando com um colega da mesma área e com o mesmo nível de conhecimento que possuímos.

Se o texto é para que a pessoa conheça o assunto, cuidado para não aprofundar demais e deixar a coisa muito técnica, ok?

– Ser didático

Essa dica é quase uma extensão da anterior. Já vi textos por aí que falavam algo mais ou menos assim:

“O marketing digital é muito importante porque ele é capaz de aumentar o número de clientes e as vendas da sua empresa através da construção de uma lista que será usada para a construção de campanhas”

Isso é verdade? Bem… é. No entanto, quem não faz ideia de como funciona todo o processo de captação de leads e criação de campanhas não consegue entender que mágica o marketing digital vai fazer para aumentar o número de clientes e de vendas.

Ir direto ao ponto não significa que você está sendo claro. Imagine um professor de matemática dizendo para uma criança de 7 anos apenas que 4 X 150 = 600.

A criança pode até acreditar, mas sem entender como funciona a multiplicação e as demais operações básicas ela nunca poderá usar a matemática de maneira efetiva.

Com o seu público é quase a mesma coisa. Você precisa dar mais detalhes do conceito para que ele fique interessado e queira fazer uso daquilo que você está ensinando.

Tenha em mente de que o seu conhecimento precisa ser destrinchado, ou seja, dividido em passos, tópicos ou etapas, e que isso pode ser feito em um ou mais textos sequenciais. Dessa forma o processo de aprendizado será mais leve e eficaz.

Lembre-se de que o esqueleto mais básico para textos que geram vendas é:

– Por que isso é importante
– De que forma isso pode fazer a diferença para o leitor
– Como isso funciona

Claro que há algumas adições que você pode fazer a este roteiro, mas isso vai depender do seu objetivo final.

Todas as informações que listei podem e devem ser detalhadas no conteúdo, mas é claro que nem todos os tópicos terão o mesmo tamanho. Explicar como funciona, por exemplo, acaba nos dando um espaço bem maior dentro do texto.

Recapitulando

– Um texto precisa ser atrativo, mas se ele não for interessante nem adianta chamar atenção
– Para que um texto seja interessante e possa ajudar a aumentar as vendas é preciso que ele tenha informações relevantes para o seu público
– Há duas formas de fazer textos interessantes: encontrando várias informações relevantes através de pesquisas ou detalhando minuciosamente aspectos importantes de um determinado tópico ou tema
– Um texto direto nem sempre é didático
– O seu público não é você, logo, tome cuidado ao pular certas explicações e conceitos

E aí, ainda tem alguma dúvida sobre como produzir bons textos que são interessantes e que geram vendas? É só deixar um comentário abaixo que a gente pode te ajudar.

Se você quiser aprender em detalhes a produzir conteúdos atrativos e que geram vendas, eu e toda a nossa equipe podemos te ajudar com os minicursos da área de membros do Portal Markerting com Digital.

Um abraço até o próximo texto!

Webwriter do portal Marketing com Digital e colunista na revista oficial da Nintendo no Brasil. Também trabalha, desde 2006, com a produção de eventos de cultura pop voltados para jovens.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *