Acredito que você não escreve textos começando com “Era uma vez”. É, eu também não, mas nem sempre foi assim para nós dois, né? Eu era bem mais novo, pré-adolescente, e me lembro de que uma professora – que até tinha o mesmo sobrenome que eu – me ensinou que existiam formas bem mais consistentes e eficientes para construir um bom texto.

Sabe qual é uma técnica que funciona bastante? O storytelling. E eu acabei de utilizá-la.

O que é Storytelling

Usado em comerciais, palestras, textos de gêneros diversos, jogos de RPG, entre outros, o storytelling – termo que em inglês significa algo como “contar histórias” – tem como objetivo prender a atenção do leitor com uma história.

E por que uma história?

O que é mais fácil? Lembrar de um enredo de um filme/livro, ou de um conceito que você aprendeu em algum curso, seminário ou aula?

Acredito que, assim como eu, você se lembra de uma história com maior facilidade, e é justamente por isso que o storytelling é tão poderoso.

Através de uma história você pode passar ideias, convicções, emoções, retratar a força de uma marca…

Quer um exemplo?

Veja estes vídeos, que falam sobre a marca John Walker e Richard Branson, fundador do Grupo Virgin.

John Walker – O homem que andou ao redor do mundo (Legenda em português)

A fantástica história do jovem Branson (Áudio inglês – Sem legenda)

Comerciais como esse estão ganhando destaque, até mesmo no Youtube, aparecendo como anúncios quando você está prestes a ver um vídeo.

No de John Walker, a mensagem é muito clara: essa companhia tem tradição, qualidade, diferencial, impactou a sociedade, e permanecerá assim por muito tempo.

E como você poderia aplicar essa poderosa técnica em seus textos?

Aplicando o storytelling em textos

Você lembra do primeiro parágrafo deste texto? Eu explico por que deixei de usar “era uma vez”. Lembrou o motivo?

Bem, espero que tenha lembrado…

Eu contei uma história para ilustrar um assunto: técnicas eficientes para escrever texto.

Disse que não usava mais “era uma vez”, assim como você, e que uma professora com o mesmo sobrenome que o meu havia me ensinado a fazer isso.

Eu poderia simplesmente ter omitido o detalhe do sobrenome, mas isso prejudicaria a minha história. Um bom storytelling se apega aos detalhes, sejam eles visuais ou mentais.

No vídeo do John Walker, por exemplo, você vê um ator andando o tempo inteiro, passando por elementos que representam diferentes pontos da história. O andar contínuo e o cenário fragmentado são objetos chaves que servem para que o espectador se lembre com mais facilidade da história.

No caso do vídeo de Richard Branson, você deve ter notado que todos os atores que interpretaram o bilionário, até mesmo a sua versão bebê, tinham um cavanhaque. Eles realmente queriam mostrar que aquela era a história do Richard…

Você terá feito um bom storytelling se conseguir atender 1 destes 3 pontos:

1- A pessoa conseguir lembrar dos pontos chave da sua história ao recordar o que estava acontecendo enquanto ela estava sendo contada

2- A pessoa visualizar mentalmente a narrativa, ou seja, se ela conseguir reproduzir mentalmente um cenário por conta do que leu/ouviu

3- As duas opções de cima juntas.

No caso dos textos, é mais comum alcançar o item número 2. Para isso, utilizar comparativos e algumas palavras/frases que conectem você ao leitor é uma boa opção.

Ex: “sabe quando”, “talvez você”, “acredito que você”, “todo mundo já”, entre outras.

O storytelling serve para todos os públicos?

marketing digital público alvo storytelling

Sim, mas você precisa tomar bastante cuidado. É preciso conhecer muito bem o seu público-alvo para aplicar o storytelling de forma eficiente

Uma criança, por exemplo, assistindo ao comercial do John Walker, não captaria a mensagem do mesmo jeito que eu e você somos capazes de entender, pois a história que estava sendo mostrada falava sobre um empreendedor e uma empresa.

No entanto, mostra para a criança uma narrativa como Pokémon, Hércules, Harry Potter, Ben 10, Homem-Aranha, e ela logo terá vontade de sair correndo por aí como se fosse o personagem principal.

Por que isso acontece?

Porque essas narrativas utilizam uma fórmula de storytelling conhecida como a Jornada do Herói, que consegue transformar situações diversas em histórias atraentes, e vem sendo o componente principal de muitas lendas e obras de ficção desde a criação dos grandes mitos da humanidade.

Acredite, com esse modelo você será capaz até mesmo de promover produtos de uma forma chamativa.

Sua próxima missão

Antes de explorarmos o vasto terreno da Jornada do Herói, preciso avisá-lo de que você tem uma missão.

Da próxima vez que estiver escrevendo um conteúdo, pense como você o contaria para um amigo, ou para alguém que você acabou de conhecer.

Veja como os detalhes orais se manifestam e selecione alguns deles para compor a sua história em forma escrita, pois eles farão a diferença.

Em breve começaremos a nossa jornada…


Mateus Lôbo
Mateus Lôbo

Webwriter do portal Marketing com Digital e colunista na revista oficial da Nintendo no Brasil. Também trabalha, desde 2006, com a produção de eventos de cultura pop voltados para jovens.

    4 replies to "Era uma vez um redator que usava storytelling para escrever conteúdo relevante"

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.